22 maio 2017

Resenha: “Os filhos de Sétimo” do autor André Vianco.

Oiii pessoal!!!

A resenha de hoje é do livro "Os Filhos de Sétimo – O Turno da Noite I" do autor André Vianco, publicado pela Editora Novo Século em 2006, contendo 229 páginas.

 
Fonte da imagem: http://www.saraiva.com.br/

Sinopse: O Turno da Noite surgiu para agitar o submundo. Quatro vampiros recém-trazidos para a vida noturna são atraídos por um vampiro ancião que vive em São Paulo. Ignácio oferece proteção e ensinamentos para os novatos em troca de suas habilidades para lutar contra o crime organizado. Uma mistura explosiva que vai sacudir a cidade e mergulhar o leitor em suspense, ação e mistério. Vampiros, lobisomens e anjos se misturam num conflito onde não sabemos ao certo quem é o herói e quem é o bandido. Compre seu bilhete, tome seu lugar, ‘O Turno da Noite’ vai zarpar para uma viagem inesquecível. Esse livro tem ligações com seus antecessores – ‘Os Sete’ e ‘Sétimo’.

A história da trilogia O Turno da Noite tem começo apenas dias após o final de Sétimo. Patrícia, Alexandre, Raul e Bruno são jovens vampiros que estão completamente perdidos. Eles são sobreviventes do agora destruído bando de Sétimo, um vampiro poderoso que chacoalhou o Brasil ao tentar dominá-lo, mas que foi derrotado. Nenhum dos quatro está muito animado com a ideia de serem vampiros, matar ainda é algo abominável para eles, entretanto, a fome, a sede, é muito grande, o que os deixa vulneráveis a proposta de Ignácio, um vampiro antigo e poderoso que os convida a fazer parte do Turno da Noite na Agência Jugular.  
Além de um bom retorno financeiro, Ignácio oferece aos jovens a oportunidade de se alimentarem sem serem detectados ou mesmo tirar vida inocentes. Os alvos da Agência Jugular são traficantes, assassinos e todo tipo de pessoa torpe que alguém quer que desapareça. Aparentemente é tudo muito simples, Patrícia, Alexandre, Raul e Bruno matarão pessoas cuja falta deixarão a sociedade um lugar um pouco melhor ao mesmo tempo em que se alimentarão. Entretanto, nada é descomplicado com Ignácio. O ancião é poderoso e tem métodos e objetivos questionáveis. Logo Patrícia, Alexandre, Raul e Bruno percebem que há mais em jogo do que eles imaginam, mas será que o Turno da Noite será persuadido pela nova vida de luxos e prazeres e silenciado por Ignácio, ou esse jovens são mais forte do que todos, inclusive eles mesmo, imaginam?
Paralelamente à trama dos novatos, ocorrem outras histórias: a alcateia de lobos filhos de Dom Afonso (Lobo) decide se esconder do exército, que ainda está atrás dos vampiros. A alcatéia se separou em três grupos: o primeiro é liderado por Leonardo e busca se esconder na Floresta Nacional de Ipanema em Sorocaba; o segundo, composto por Marcos e Yuli, tenta retornar a Porto Alegre, onde foram criados por Lobo; e finalmente, Hélio, que salvou duas das vampiras de Sétimo: Aléxia e Paola.
Vampiros e lobisomens não são os únicos que procuram por respostas. Uma população aterrorizada não se cansa de criar teorias sobre o que aconteceu recentemente, mas o pesadelo está longe de acabar. O Exército brasileiro não está para brincadeiras e utiliza todos os meios para dar fim aos mortos vivos, nem que para isso tenham de admitir a existência deles. Dimitri e Tobia são uma dupla caçadora de vampiros que também não está poupando balas de prata em sua missão solitária de acabar com todos que possuem presas. Os dois estão sempre a espreita, atentos a qualquer ameaças, mas eles não são os únicos. Nas sombras escondem-se mais olhos vermelhos, sejam eles de vampiros ou lobisomens, todos com suas próprias intenções e desejo por sangue.
Todas essas tramas são exploradas alternadamente nas 229 páginas do livro, o que o tornou rápido e superficial demais com algumas histórias menos exploradas, mas acredito que ele as retome nos livros futuros da série, então isso não se transforma em um problema.
Foi muito bem ler uma obra nacional com vampiros que não nega a nossa cultura e sim a reforça com um retrato fiel dos costumes brasileiros, isso tudo sem perder o caráter sombrio que uma história sobrenatural deve ter. A trama é bem construída e amarrada, mas, pelo menos para mim, foi óbvia em muitos momentos, com situações clichês e suspense barato.

 “Os Filhos de Sétimo” não foi a excelente leitura que esperava, mas acabou sendo um bom livro, que me deixou sedenta pelo resto da Trilogia “O Turno da Noite” e por outras obras do Vianco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Então deixe seu comentário!

© RM Desing - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tema Base: Butlariz.
imagem-logo